Tenho vários lados. E inconscientemente um lado completa o outro.
Tenho o lado criança, boba e brincalhona.
Tenho o lado sonhadora, que sempre acredita, que sempre idealiza.
Tenho um lado adulta, responsável, sociável mais esse adora se perder no meu lado louca, desinibida, decidida.
Tenho um lado safada, tarada e descarada, que quando se solta não tem um pingo de vergonha na cara.
Todos esses lados afloram no momento certo, quando são despertos. E um lado não pode ser completo sem o outro.
A criança quer risos, brincadeiras, a simplicidade que traz alegria.
A adulta quer se realizar, se formar, se casar, abraços, beijos, o colo eterno do meu amado.
A safada quer a excelente trepada, o sexo louco, sem neuroses, sem inibições com aquele que num só é meu amante, meu amor.
Todos eles querem ser saciados porque um não vive sem o outro. Ambos se juntam como um quebra-cabeça, para se formar o “meu todo.”
Fernanda Marques (via pensamentos-antigos)
Chupão é um jeito gostoso de marcar território